Seguidores

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Amores Virtuais


Não brinque com amores virtuais
Eles são como todos os amores,
Provocam as mesmas mágoas, mesmas dores
Daqueles que chamamos de normais.

Estes porém machucam ainda mais,
Pois nunca se dividem os cobertores,
Dos beijos não se provam os sabores,
Nem vão-se pelos ímpetos carnais.

Mesmo assim, quando este amor se acaba
Os dias perdem o brilho, a alegria,
Parece que ao redor tudo desaba.

E a solidão ao cúmulo se revela;
Chorar-se um frágil amor que só se havia,
Na fina transparência de uma tela.

Jenário de Fátima

3 comentários:

José Maria Lobato disse...

Olá, minha primeira vez aqui em seu Blog creio eu, parabéns, está brilhante e voltarei decerto muitas mais vezes para um olhar mais atento!!!
Abraços e que tenha uma óptima semana, Zé Maria

José María Souza Costa disse...

Belissimo poema. O seu blog, um encanto.Mas, estou lhe chamando a visitar o meu blog, muito simplório por sinal, e se possivel seguirmos juntos por eles. Estarei grato esperando por vc, lá.
Abraços de verdade

REGGINA MOON disse...

Adriana!

Feliz Ano Novo...muita Saúde, Amor & Paz!!

Que possamos estar sempre juntas neste novo ano que se incia!!

Receita de Ano Novo

"(...)Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre!

(Carlos Drummond de Andrade)

Beijos......Reggina Moon