Seguidores

segunda-feira, 26 de abril de 2010

AGRADECIMENTO A POETISA REGINA AZENHA!


QUERIDA POETISA REGINA AZENHA
FOI DE GRANDE PRAZER TER SUA PARTICIPAÇÃO
EM MEU BLOG DEIXANDO SUAS LINDAS PALAVRAS E POEMAS
QUE ENCANTAM A TODOS.
AGRADEÇO TAMBÉM POR TER ESCOLHIDO COMO PARCEIRO DA
SEMANA O ILUSTRE POETA JG DE ARAUJO
QUE FEZ DESSA SEMANA MOMENTOS ESPECIAIS DE LITERATURA.
FAZENDO AQUELES QUE POUCO O CONHECIA, A SE APROFUNDAR
NO TAMANHO TALENTO QUE FOI E É ESSE GRANDE POETA!
SOMENTE UMA PESSOA COM TAMANHO REFINAMENTO E CONHECIMENTO PODERIA NOS PRESENTEAR COM ESSA ESCOLHA!
MAIS UMA VEZ OBRIGADA POR SUA AMIZADE E SEU ENORME TALENTO!

AQUI DEIXO MAIS UMA POESIA DO POETA PARA VOCÊ!


UMA HISTORIA DE AMOR

Vieste... E me falaste de um alguém infiel
que traíra a tua vida
e a quem deras no entanto o teu amor...
Vieste... E me falaste a linguagem de fel
da tua alma ferida,
( e em teus olhos havia atormentada e presa
uma imensa tristeza, um profundo amargor...)
Quem te viu como te vi - a falar a linguagem
da suprema amargura
da incurável desilusão,
como quem abatido chega ao fim da viagem
e encontra um velho sonho de ventura
em pedaços no chão...
Quem te viu como eu vi – beirando o precipício
e quase em desatino,
sem saber procurar se quer um novo início
para o seu destino...
Vieste... e eu dei-te o abrigo dos meus braços,
- comovi-me... e senti meus olhos baços
diante da tua dor...
e sem que eu próprio saiba como consegui
aos poucos, muito aos poucos, dia a dia, eu vi
que vencias o infiel, o amargurado amor...
Uma tarde... em que te vi chegar, rindo e chorando,
numa emotividade
que punha em teu olhar imprevisto esplendor,
pensei que nessa tarde enfim, eu te pudesse
desvendar meu segredo de felicidade
e pedir teu carinho para meu amor...
Chegaste... Me entregaste a mão, e me disseste
entre terna e comovida:
- Ah! Meu amigo!
nem tu compreenderás todo o bem que fizeste
agora que afinal posso seguir de novo
radiante, sem perigo...
E entre terna e comovida
silenciaste,
e me entregaste a mão...
Era a despedida...
- pior que a despedida: - era a separação...
Num derradeira gesto impensado, numa alegria louca
no instante de partir:
- beijaste-me na boca
e te foste a sorrir...
Para que? Para que me beijaste-me na boca?
Hoje a minha alma sofre , e o meu desejo goza
a angústia dessa lembrança...
Ah! Meu amor... o quanto foste louca
e impiedosa,
o quanto foste criança!

( Poema de JG de Araujo Jorge, extraído do livro
"Meu Céu Interior", 1ª edição, 1934 )

2 comentários:

REGGINA MOON disse...

Maravilhosa Regina Azenha...belíssima participação com seus poemas que encantam a todos!!

Adriana, mais uma vez parabéns por essa iniciativa que ganhamos todos nós!!

Grande beijo!!

Reggina Moon

Regina Azenha disse...

Querida Adriana,
Venho agradecer a oportunidade de participardo teu lindo blog.
Tenha certeza que fiquei muito honrada em poder estar junto a tantos outros poetas maravilhosos.
Escolhi o J.G. de Araújo Jorge, para homenagear,pois o considero um mestre na arte de escrever com
sentimento.
Como ele mesmo dizia:
"Uma coisa é a gente escrever porque pensa;outra
é pensar e escrever porque sente".
Agradeço de coração o carinho da tua amizade.
Beijos
Regina Azenha