Seguidores

segunda-feira, 26 de abril de 2010

RONDEL A QUEM AMA, SEM SER AMADO


Triste sina de alguém que ama,
mas reconhece, não ser amado.
Sente as lágrimas que derrama,
vindas de um coração machucado.

Vê um farol há pouco apagado,
onde Luzia ardente a chama.
Triste sina de alguém que ama,
vivendo na saudade do passado.

Persiste como terrível holograma,
a dor da traição, do elo quebrado,
bailando na mente. Cruel drama,
reconhecer-se não mais amado.
Triste sina de alguém que ama.
Guida Linhares
Santos/SP/Brasil
21/04/10

Participação em trieto poético,
sob o formato de rondel,
tema amoroso.

2 comentários:

Fazendo Diferente disse...

O remédio para uma situação dessa natureza é portanto, sacrificar o amor, ou seja, desistir...

M@ria disse...

Boa Noite!!

Não tem porque interpretar um poema. O poema já é uma interpretação.

Mário Quintana

Feliz noite e beijos meus!!