Seguidores

quarta-feira, 16 de junho de 2010

TE AMO ... TORMENTA



TE AMO

Eu te amo com a força dos temporais,
Com a fúria incontrolável dos vulcões,
Com a energia acumulada dos trovões,
Desde longos tempos imemoriais.

Eu te amo com a leveza dos cristais,
Com a textura das rosas, em seus botões,
Com as notas delicadas das canções,
Com as cores de mil roupas nos varais.

Eu te amo em todas as horas do meu dia,
E este amor, ora leveza, ora tormenta,
Este amor que ora é prazer, ora agonia,

Pra meu barco é a segurança de um cais,
Muito embora ele saiba - se contenta
Que apenas é só mais um... e nada mais!

Jenário de Fátima
(do livro Poesias In Comum)


Jenário de Fátima (do livro Poesias In Comum)

TORMENTA


Os ventos são brisa apenas, em dias de calmaria.
Que intempérie! Chegam fortes, em dia de ventania.
Mas a brisa se transforma, até em grande tufão;
Se meu amado não chega, venta no meu coração!

Tempestades nebulosas, tangendo as ondas do mar,
Vilipendiam a alma, nas tormentas do esperar.
Num desafio tamanho, se tardas, fustiga o vento...
Se chegas, tudo se acalma, esquecemos o tormento.

Sem temor de tempestades, nos teus braços acolhida,
Isto sim é bem maior que a natureza incontida!
Vento forte dobra as folhas da árvore, ao seu sabor

Eu aqui estou alquebrada, perdida por teu amor!
Entregues e arrebatados, deixa a tormenta lá fora!
Nas brumas da madrugada, somos nós, aqui... Agora...


Mírian Warttusch
(do livro Poesias In Comum)

Um comentário:

REGGINA MOON disse...

Adriana,

Os poemas de Jenário sempre me encantam, este eu não conhecia, é maravilhoso, como tudo que nosso querido Poeta compartilha conosco!!

Parabéns!!!

Um ótimo dia, beijos...

Reggina Moon