Seguidores

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Vestígio Incerto


Sou a alma que o tempo não levou
petrificando-me ao teu desalento,
nas devassas noites sem luar e sem cor.

Vagando no ócio da minha solidão
não mais consigo ter calma...
Minha essência perece nas trevas
sem o langor de uma paixão.

Na busca extrema por uma idolatria
minha vida se finda no nada...
Apenas encontro indícios, apagados
Estrelas sem luz, lua sem brilho
que não reluz o meu Amor.

(Poeta- Dolandmay)

4 comentários:

REGGINA MOON disse...

Linda postagem!!!

"Sou a alma que o tempo não levou
petrificando-me ao teu desalento,
nas devassas noites sem luar e sem cor."

Belíssimo poema de Doandmay, como todos...Parabéns Poeta!!

Beijos,

Reggina Moon

Sonhadora disse...

Lindo poema...adorei como tudo que leio aqui.

Beijinhos
Sonhadora

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amiga! Passando para te desejar uma ótima sexta-feira e dizer que gostei muito do poema, principalmente a estrofe abaixo:

Vagando no ócio da minha solidão
não mais consigo ter calma...
Minha essência perece nas trevas
sem o langor de uma paixão.

Beijos e fiques com DEUS.

Furtado.

VASCODAGAMA disse...

AMEI
VOU VOLTAR

BEIJO