Seguidores

terça-feira, 9 de março de 2010

DE REPENTE A SAUDADE


















Lá fora o vento passa cantando
O canto é um lamento
E a saudade chega lenta,
Num amanhecer que se espera,
E tanto demora a chegar.
E a dor que se agüenta,
Quase o peito arrebenta,
O que a alma nunca quisera,
Mas vai tentando se acostumar.
Algumas coisas se inventam
Escrever uma carta
Ouvir uma núsica
Para não ter que chorar.

Ah, essa saudades que dói!
Ninguém pode tirar
Só com sua chagada
Ela poderá parar de chorar.

A SAUDADE QUE CHORA
ARREBENTA O CORAÇÃO
A MENTE FICA CONTURBADA
É MUITA EMOÇÃO!

SAUDADE È SEMPRE SOFRIDA
SEMPRE QUE HÁ DESPEDIDA...


MARLENINH@ CASTILHO

2 comentários:

Sonhadora disse...

Lindissimo poema.

sonhadora

MARIA L. BÓZOLI disse...

Se de amor são os versos,
despertam carinhos diversos...
Com lindas flores,
falamos de amores,
espalhando seus odores...
Com versos floridos,
curamos amores doloridos...
Receba meus versos com carinho,
ensinando-lhes o caminho
para chegar a seu coração...

(Marcial Salaverry)

Uma noite de Amor e Paz! Beijos & Flores! M@ria